TI Verde e os benefícios sociais

6 04 2015

ti-verde

Na realização do I Seminário de Pesquisa “Tecnologias Computacionais e Qualidade de Vida”, realizado no dia 11/03/2015 pelo Colegiado de Sistemas de Informação da FTC Vitória da Conquista, após a apresentação da linha de pesquisa “Computação Verde”, foram feitas perguntas que, pelo pouco tempo que tínhamos, não puderam ser respondidas a contento. Resolvi então, usar o blog para apresentar as respostas às questões.

Ao apresentar a TI Verde, associou-se o termo “sustentabilidade”, sendo este um conceito que abrange diversas dimensões, apresentadas por Ignacy Sachs*, mas cujo aspecto tem se voltado a três que constituem, segundo expressão de John Elkington**, os três pilares (“triple bottom line”), e que são as dimensões ambiental, econômica e social. O estudante então, ao final da explanação, queria saber se havia alguma informação sobre os benefícios trazidos pela TI Verde, considerando o aspecto social, em números.

As questões sociais são muito amplas e deve-se pensar em que situações podemos associar benefícios sociais trazidos pela TI Verde. Em se tratando de práticas que visam ao  atendimento de critérios de sustentabilidade, é necessário ainda analisar quais as dimensões sociais que estão diretamente ligadas à indústria de tecnologias da informação e ao uso destas. Esta resposta, entretanto, não pretende esgotar esta análise, apenas sugerir alguns destes benefícios.

As práticas de TI Verde: abordagens “Tática Incremental” e “Estratégica”

Uma organização que decide assumir as práticas de TI Verde e escolhe num primeiro momento a abordagem “Tática Incremental”, implementará ações na empresa que visam a redução no consumo (energia, insumos – papel, tinta, toner etc.), manutenções para prolongar a vida útil de equipamentos de informática, reuso de equipamentos e componentes eletroeletrônicos. Neste momento, inicia para toda a organização, um processo de esclarecimento de todos os trabalhadores desta, sobre as boas práticas de gerenciamento de energia e consumo consciente, com o máximo aproveitamento dos recursos que são adquiridos, como por exemplo:

  • impressão apenas de documentos que serão arquivados fisicamente;
  • revisão (antes de imprimir) dos documentos para evitar desperdício de papel;
  • uso de fontes (conjunto de caracteres) que consomem menos tinta;
  • impressão em ambos os lados do papel – quando possível;
  • recondicionamento de insumos para evitar o descarte de resíduos ainda aproveitáveis (cartuchos e toners).

Este processo de conscientização do cidadão já é algo de valor para o indivíduo, uma vez que inicia (ou continua) uma Educação Ambiental que levará para sua vida pessoal, aplicando o conhecimento em evitar o desperdício e em fazer consumo consciente. Mostrando que o retorno é financeiro, isto é, economia de energia resulta em conta de luz mais baixa e prolongamento de vida útil do equipamento, mesmo obsoleto, evita a compra desnecessária (portanto, desperdício) de equipamentos eletroeletrônicos, pode ser o incentivo que o cidadão procura para aderir às tais práticas.

Em se tratando de abordagem “Estratégica”, o indivíduo poderá incorporar, às suas práticas pessoais, o planejamento para o uso de eletroeletrônicos adotado pela organização. Por planejamento, aqui mencionado, deve-se entender que a finalidade para a qual o equipamento será adquirido definirá a dimensão deste, e consequentemente, o valor a ser pago pelos recursos tecnológicos que serão adquiridos. Ou seja, compre o computador que você precisa para fazer as suas tarefas de trabalho, ou atividades de lazer, com a configuração necessária, e não “o melhor e mais veloz computador da loja”.

A ideia de estabelecer o quanto de recursos necessitamos antes de adquirir produtos e serviços mostra-se benéfico para o cotidiano das pessoas pois  conseguimos evitar o consumo desnecessário e, consequentemente, o desperdício de recursos financeiros e tecnológicos.

Um outro aspecto a ser destacado na abordagem “Estratégica”, é a escolha dos fornecedores. Alguns indicadores apontam fabricantes, e seus respectivos produtos, que atendem a critérios considerados sustentáveis, e por estes critérios pretende-se que haja preocupação social, ambiental e econômico. Para reconhecimento destes critérios, é necessário que existam ações que evidenciem tais preocupações e comprovem a prática.

Com a forte tendência de terceirização dos processos de produção, algumas organizações contratam fornecedores de peças, e demais componentes de seus produtos, em diversos países onde a mão de obra seja mais barata, a fim de, entre outras coisas, diminuir os custos de produção. Entretanto, a política de seleção e contratação destes deve ser estabelecida de forma clara para evitar que, por exemplo, em sua cadeia de fornecedores estejam empresas que utilizem trabalho em condições análogas à de escravidão – condição social não desejável e totalmente contrária à dimensão social da sustentabilidade.

Para que todos os itens que devem ser avaliados estejam claros, é necessário que todas as organizações criem uma Política de Gestão Ambiental (processo com norma internacional ISO) e comunique à sociedade, além de possíveis consumidores e fornecedores, criando a imagem que ela deseja vincular à sua marca.

Considerando todos os aspectos apresentados acima, torna-se difícil uma quantificação dos benefícios resultados da implantação das práticas de TI Verde e que, devido às características de resultados em médio e longo prazo, estes serão percebidos individualmente e que, só poderão ser medidos se comparados com cenários anteriores à implantação de tais práticas, sejam organizacionais ou individuais. Ao escrever esta resposta, eu não pretendi esgotar a discussão sobre esse tema, de modo que contribuições serão bem-vindas, sempre.

Uma outra pergunta queria saber sobre o que faria uma organização adotar as práticas de TI Verde, pergunta que será respondida em outro post deste blog.

 

* SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2009

** ELKINGTON, John. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books, 2001

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: